Como a ciência pode transformar o país e fortalecer a cidadania

A importância da ciência e da tecnologia para o desenvolvimento sustentável do Brasil é inegável. No entanto, ainda há muito a ser feito para que o conhecimento científico seja democratizado e colocado a serviço da população. É nesse contexto que surge o Instituto Mario Schenberg, que busca integrar ciência, pesquisa e cidadania para fortalecer a capacidade do país de produzir e aplicar políticas públicas adequadas para os distintos desafios apresentados à realidade do povo brasileiro.

Um dos principais objetivos do Instituto Mario Schenberg é difundir o conhecimento científico de forma acessível e compreensível para a população. Isso envolve ações de educação e divulgação científica, bem como o estabelecimento de um diálogo entre os cientistas e educadores brasileiros e a população em geral. A democratização das ciências significa torná-las de domínio público e tema rotineiro de qualquer brasileiro, colocando-as a serviço do desenvolvimento de políticas públicas em defesa da vida e do bem viver.

Além disso, o Instituto Mario Schenberg tem como propósito estimular a curiosidade, a criatividade e a participação popular no conhecimento científico. O método científico deve estar disponível a todas as pessoas, independentemente de sua formação acadêmica ou profissional. A soberania científica e tecnológica em benefício do desenvolvimento humano sustentável só é viável com projetos científicos acessíveis e compreensíveis pela população.

A ciência deve participar ativamente dos processos de análise e proposição para enfrentar os temas cruciais para a sociedade e a cultura do Brasil, como as mudanças climáticas, a preservação da biodiversidade, o desenvolvimento da capacidade produtiva do país, a prevenção de doenças e pandemias, entre outros. Para isso, é necessário que haja uma maior compreensão sobre os problemas enfrentados pelo nosso país e a prospectação de soluções práticas para estes mesmos problemas.

Por fim, é importante reconhecer o mesmo valor entre todas as áreas do conhecimento e também de outros saberes e expressões humanas. Ao aliar diferentes esferas do debate público, podemos trilhar um caminho mais direto na promoção do bem comum. Munidos da mais elevada autocrítica, auxiliados pelo fazer metódico e metodológico característico desse saber, podemos ser nossos próprios maiores críticos e contribuir para um futuro mais justo e sustentável para todos.

Compartilhe

Mais conteúdos

Representação discente da Congregação do instituto de Geociências da UNICAMP homenageia docentes que lutaram contra a ditadura militar

Leda Gitahy, membro do Instituto Mario Schenberg, foi uma das docentes homenageadas durante a 264ª reunião da Congregação do IG, marcando o 60º aniversário do golpe militar de 1964. A homenagem reconheceu o compromisso dos professores na luta contra a ditadura militar e na fundação e consolidação do Instituto. Durante o evento, Gitahy destacou a origem subversiva do Instituto e a importância de manter um ambiente diverso e democrático, refletindo sobre a influência do exilado político Amilcar Oscar Herrera na criação do Instituto e a participação de docentes como Sandra Brizolla na resistência ao regime militar. A celebração enfatizou a continuidade do legado de resistência e a defesa dos direitos humanos.

Instituto Mario Schenberg marca presença na Campus Party Brasília 2024 com foco em inovação e tecnologia

O Instituto Mario Schenberg participará da Campus Party Brasília 2024, destacando-se na programação com a presença da fundadora Flávia Ferrari. Este evento, que acontece de 27 a 31 de março no Estádio Mané Garrincha, celebra o 50º aniversário do Planetário de Brasília e inclui uma vasta gama de atividades, como a Olimpíada Nacional de Ciências e Tecnologia Nuclear, simuladores de pilotagem, workshops de robótica, e palestras sobre astronomia e exploração espacial. A participação do Instituto visa promover a importância da ciência e tecnologia na educação e sociedade, oferecendo uma plataforma para discussão sobre inovação tecnológica e o futuro da educação científica.

Deputado Dorinaldo Malafaia, Presidente de Frente Parlamentar em Defesa da Vacina, protocola investigação por crime contra a saúde pública

O Instituto Mario Schenberg divulgou um documento da Frente Parlamentar em Defesa da Vacina que solicita à Justiça a investigação do governador de Minas Gerais, Romeu Zema, e dos políticos Nikolas Ferreira e Cleitinho Azevedo por possíveis crimes contra a saúde pública e as crianças. A razão para tal pedido é a divulgação de um vídeo em que os mencionados defendem a presença de alunos não vacinados nas escolas, atitude considerada contrária às diretrizes de saúde que promovem a vacinação. Além disso, critica-se a estratégia de políticos de direita de focar debates em vacinas para ganhos eleitorais municipais, desviando a atenção de problemas mais amplos das cidades. O Instituto reforça a importância da vacinação como medida coletiva de proteção à saúde e como um dos fundamentos de seu compromisso e do movimento Todos Pelas Vacinas, destacando esforços contínuos em monitorar debates e promover campanhas de conscientização sobre a vacinação.

Send Us A Message

Pular para o conteúdo