relatórios

Centro de Pesquisas em Ciência de Dados

Centro de Pesquisas em Ciência de Dados

Projeto dos membros do Instituto Mario Schenberg para compartilhamento de dados e conhecimento sobre o tema!

Relatório semanal #18

Período AVALIADO

Volume coletado

Posts: 86812 (aumento de 47,69% em relação a semana anterior)

Usuários: 52572 (aumento de 33,97% em relação a semana anterior)

Retweets: 301479 (aumento de 136,4% em relação a semana anterior)

Resumo:

  1. Apontamento principal:
  2. Vacina: A divulgação da descoberta que o cartão de vacinação falsificado de Jair Bolsonaro foi impresso no Palácio da Alvorada levou a uma forte ampliação da menção ao termo vacina. Por isso, o termo vacina constou em cerca de 38,27% de todo material coletado;
    1. Entre os dias 19 e 21 houve uma forte ampliação da menção ao termo vacina, mas como consequência ao debate político sobre o cartão de vacinação de Jair Bolsonaro. No dia 22, o padrão de debate no X (ex-Twitter) voltou ao observado em outros momentos, com tendência de queda;
    2. Não há sinal de impacto significativo de contas automatizadas no debate sobre vacinas;
    3. O padrão de distribuição do debate sobre vacina foi a de significativa interação entre os usuários em comunidades pequenas, e com pequena troca de interações entre os usuários. Ao menos 13,76% dos usuários interagiram duas ou mais vezes com outros usuários ao debater vacinas;
    4. As menções a vacina podem ser divididas em três grandes grupos: (a) um menor, que debateu o ato de tomar vacina, em especial associado ao termo covid, mas também à Bolsonaro; e dois maiores, com tom mais político, sendo um (b) voltado a comentar e repercutir a descoberta da impressão do cartão de vacinação de Bolsonaro ter sido feita no Palácio da Alvorada; e (b) uma de tamanho similar, voltada a atacar Lula e o Governo pelo desempenho no fornecimento de vacina contra a Dengue;
      1. Há aparente simetria de oposição entre esses dois maiores grupos. A crítica ao governo ganhou força e volume após a divulgação da notícia sobre a carteira de vacinação falsificada de Jair Bolsonaro;
      2. O debate sobre a impressão do cartão de vacinação falsificado teve como uma de suas características pessoas debatendo e comentando, de forma orgânica, intensamente. Isso gerou grande volume de mensagens similares ou repetidas dentro das mesmas comunidades. Ou seja, há indícios de não ruptura significativa da bolha das comunidades;
  3. Dengue: a dengue foi o termo mais relevante entre os coletados, no twitter. Cerca de 49,42% de todo material coletado possui menção à dengue.
    1. Observou-se uma ampliação da menção a dengue entre os dias 19 e 210 possivelmente como esforço de resposta de partidários de Bolsonaro à notícia sobre o cartão de vacinação de Jair Bolsonaro. No entanto, o pico não foi significativo para alterar a trajetória geral das menções a dengue, que foi de manutenção no patamar de picos com 300 a 500 menções hora;
    2. Há sinal significativo de contas automatizadas no debate sobre dengue, com incidência no padrão do debate;
    3. Os usuários a mencionarem dengue tenderam a se dissipar e apresentar padrão de pouca intensidade de troca de interações entre si. Apenas menos de 6,70% dos usuários a mencionar Dengue interagiram duas ou mais vezes com outros usuários, neste debate;
    4. O debate sobre dengue, no twitter, pode ser dividido em três grandes grupos: (a) um grupo que está discutindo sintomas, medo, e receios sobre a dengue ou covid, com claro traço de preocupação com a situação sanitária do país; (b) um grupo que debateu as ações do governo no combate a dengue, com ênfase no papel das vacinas; e (c) um terceiro grupo que também debateu as ações do governo, mas com ênfase no recorde de casos de dengue, com ataque centrado em Lula.
      1. Há sinais de contas automatizadas ou dedicadas a ação coordenadas na crítica ao governo. Verifica-se, em especial reprodução massiva de textos como comentários em postagens de terceiro.
  4. Covid: Devido a divulgação da descoberta da impressão do cartão de vacinação falsificado de Bolsonaro, o termo Covid voltou a apresentar alta. Cerca de 20,27% do material coletado mencionava Covid;
    1. Houve claro pico de menções a Covid entre os dias 19 e 21, período em qual o cartão de vacinação de Bolsonaro foi tópico de destaque. Após esse pico, as menções a Covid caíram aceleradamente;
    2. Não há indícios de que mensagens automatizadas tiveram impacto significativo no debate sobre Covid, no Twitter;
    3. Sobre o tema Covid, apesar de apenas cerca de 7,75% dos usuários chegaram a interagir duas ou mais vezes com outro usuários, houve relativa intensidade de simetria no debate, com usuários interagindo de forma recíproca;
    4. O debate sobre Covid pode ser dividido em três grandes grupos: (a) um que debateu o papel do governo Jair Bolsonaro de ineficiência ao enfrentamento daquela pandemia; (b) um grupo que se concentrou em debater a fraude no cartão de vacinação de Jair Bolsonaro; e (c) um terceiro, que apresenta padrão de resposta aos outros dois, com maior participação de pessoas que focaram em associar Covid e Dengue como forma de atacar o governo Lula.
      1. Houve uso de mensagens automatizadas/coordenadas por partidários de Jair Bolsonaro como estratégia de resposta à divulgação da notícia sobre a impressão do cartão de vacinação. As mensagens idênticas foram usadas como ferramenta para comentário em postagens que falassem sobre o cartão de vacinação ou denunciassem a atuação de Jair Bolsonaro no combate à pandemia de Covid.
Relatórios para conhecer em profundidade o debate público, identificar os temas e argumentos do debate, bem como saber quem são os principais influenciadores e personagens do debate vacinal.

Compartilhe

MAIS EM CPCD

Pular para o conteúdo