relatórios

Centro de Pesquisas em Ciência de Dados

Centro de Pesquisas em Ciência de Dados

Projeto dos membros do Instituto Mario Schenberg para compartilhamento de dados e conhecimento sobre o tema!

Relatório semanal #15

Período AVALIADO

Posts: 80.588 (ampliação de 0,01%)
Usuários: 53.121 (redução de 2,8%)
Retweets: 286161 (ampliação de 35,5%)

Resumo:

(1) Apontamento principal: há uma sensação, por parte do público, que o Brasil está em uma nova crise sanitária séria, que acumula Covid e Dengue. Os usuários do Twitter debateram as políticas públicas para sanar essa crise, indicando preocupação sincera com a possível piora do quadro;

  1. (2)  Para os usuários do X (ex-twitter) no Brasil, a Dengue segue como principal crise sanitária do país (51,5% de todas postagens coletadas);
  2. (3)  O debate sobre vacinas tem se dividido entre vacinas contra covid e vacinas contra dengue, e se manteve estável no mesmo patamar ao longo da semana;
    1. (A)  Não houve indícios significativos de presença de postagens automatizadas (sejam programadas ou de robôs);
    2. (B)  Houve grau de interação entre os usuários, que formaram pequenas comunidades de debate. Ao menos 14,7% dos usuários interagiram mais de uma vez entre si;
    3. (C)  O debate sobre as vacinas apresentou padrão relativamente uniforme dos termos e formas de debater: (a) um grupo maior, que debateu a política do atual governo para vacinas, com críticas, ou defesas à crítica, ao Ministério da saúde; (b) um grupo intermediário que debateu as vacinas, a necessidade ou não de vacinar crianças, e o impacto do governo Bolsonaro sobre a vacinação; e (c) um grupo menor debateu a importância da vacina associando à dengue e à covid);
  3. (4)  O debate sobre Covid sofre desaquecimento durante a semana, e o número de menções/hora à Covid no X (ex-twitter) caiu;
    1. (A)  Há indícios da presença de postagens automatizadas (programadas ou robôs), mas o volume das mesmas não indica impacto significativo no debate;
    2. (B)  O padrão do debate se deu através de comunidades com uma única interação. Menos de 8% dos usuários interagiram duas ou mais vezes com outros membros da comunidade;
    3. (C) O debate sobre Covid se dividiu entre três grupos: dois grandes grupos, sendo (a) um que debateu a covid relacionando à vacinação, Bolsonaro, e mortes, indicando claro conteúdo político; outro (b) que debateu a covid relacionando à dengue, e viroses, e seus sintomas, indicando preocupação genuína com as crises sanitárias no Brasil; e (c) um terceiro grupo menor que se preocupou com a transmissão da Covid (e da Dengue) e a necessidade da realização de testes. Houve tom menos alarmista e mais jocoso nesse grupo;
    4. (5) O debate sobre dengue se manteve em patamar alto durante a semana, desaquecendo apenas durante o final de semana. No entanto, o interesse e engajamento do público apresentou tendência de crescimento ao longo do tempo;
    5. (A)  Há claro indício de uso de mensagens automatizadas (programadas e de robôs), em volume suficiente para gerar impacto no debate;
    6. (B)  O padrão do debate foi o de comunidades de baixa intensidade de interações. Apenas cerca de 6% das comunidades formadas possuiu duas ou mais interações entre os usuários;
    7. (C)  O debate sobre a dengue pode ser dividido em três grupos significativamente distintos: Um grupo (a) maior, que debateu a dengue na pesperctiva da saúde pública, focando o debate nas ações do governo; um (b) intermediário, que expressou preocupação e medo, indicando aflição sincera com a possibilidade de contrair dengue; e (c) um grupo menor que tratou o tema de forma mais leve, fazendo brincadeiras sobre a dengue.
Relatórios para conhecer em profundidade o debate público, identificar os temas e argumentos do debate, bem como saber quem são os principais influenciadores e personagens do debate vacinal.

Compartilhe

MAIS EM CPCD

Pular para o conteúdo